Maria Emília Brederode Santos

Fotografia : Nuno Ferreira Santos

         Presidente do Conselho Nacional de Educação, membro do Conselho de Opinião da RTP e do Conselho Geral do Instituto Politécnico de Setúbal, além de membro de muitas associações e grupos mais ou menos informais (“Inquietações Pedagógicas”, “Grupo Informal de Educação para a Literacia Mediática”, Movimento Português de Intervenção Artística e Educação pela Arte”, etc.).

       Foi Presidente do Instituto de Inovação Educacional do Ministério da Educação de 1997 a 2002, tendo estudado os processos de introdução, sustentabilidade e expansão das inovações.

           Foi coordenadora e co-autora da proposta de currículo de Educação para a Cidadania para a Educação Básica e Secundária (201O- 2011). Antes e nessa área foi representante do Ministério da Educação na Comissão Nacional para a Educação em matéria de Direitos Humanos (Comissão Nacional para a Celebração do 50° Aniversário da Declaração Universal dos Direitos do Homem e da Década das Nações Unidas para a Educação dos Direitos Humanos) de 1998 a 2004. Coordenou a publicação da “Constituição da República Portuguesa Trocada por/para Miúdos” (Ed. Assembleia da República,1 a 2001 e 2002). Co-autora do jogo Direitos à Solta- o Jogo da Democracia a Três Dimensões. 18 e28 edições, Associação para a Promoção Cultural da Criança, 2004. Co-autora do Manuel de Educação para os Direitos Humanos COMPASITO, Conselho da Europa, 2007.

           Foi Diretora pedagógica das quatro séries do programa televisivo e da revista Rua Sésamo (na RTP de 1987 a 1997). Autora do livro Aprender com a TV, 1991 (versão ingl. “Learning with TV”, N.Y., CTW, 1992). Enquanto assessora do diretor de programas da RTP 2 e do departamento de programas infantis e juvenis da RTP concebeu, produziu foi responsável ou co-autora de vários programas televisivos educativos como o Jardim da Celeste, Alhos e Bugalhos ou Poemas Pintados como antes no Ministério da Educação fora co-autora e responsável pelo programa televisivo e radiofónico Falar Educação e Cá fora também se Aprende.

.

         Em 2016 co-produziu um projeto de formação e um Manual de Educação para os Media para a Fundação Calouste Gulbenkian.

         Presidente do Movimento Português de Intervenção Artística e de Educação pela Arte 2006 a 2008. Presidente da Comissão de Avaliação da Escola Superior de Educação pela Arte 1981-1982. Presidente do Grupo lnterministerial para o Ensino Artístico 1996. Autora do livro Avaliação da Escola Superior de Educação pela Arte, IIE/ME, 1994.

         Autora do livro Os Aprendizes de Pigmaleão, Lisboa, IED, 1985 e 1991 -sobre formação de professores.

         Colaborou na criação do Blog – Inquietações Pedagógicas e na coordenação da página semanal com o mesmo nome no jornal A Capital e e na página mensal no Jornal de Letras. Co-dirigiu durante dez anos uma Página de Educação no DN.

     Mestre em Análise Social da Educação pela Boston University, E.U.A. Licenciada em Ciências da Educação pelo lnstitut de Psychologie et des Sciences de I’Education da Universidade de Genebra onde também lecionou.

       Condecorada com a Ordem da Instrução Pública – Grau de Grande Oficial 2004. Prémio da Boston University’s General Alumni Associatlon 1994. Prémio Rui Grácio da Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação 1992.

Fotografia: Nuno Ferreira Santos. Entrevista Clara Viana, Jornal Público 27-12-17