Cancioneiro

Descrição do evento:

O cancioneiro popular das várias regiões do País e o novo cancioneiro de cantautores que renovaram a música em português, podem ser fruídas por grupos de diferentes idades. O gosto de cantar em grupo e de recordar canções que fizeram parte da vida de cada um dos participantes permite viver com emoção e prazer o tempo dedicado a cantar.

Objetivos:

Fazer apelo à memória do que conhecem e dando a conhecer, através da prática do Canto em Comum, algumas das mais recentes canções dos novos autores

A canção de texto tem, na história comum do Brasil e de Portugal, um papel fundamental na difusão da língua, da poesia, do modo próprio de contar o que nos sensibiliza. E cria imagens que marcam gerações e mudam a nossa perceção do Mundo e da Vida.

No tempo em que os Humanos cantavam quando tinham algo para dizer ou contar, as palavras conheciam os caminhos da memória dos que as sabiam de cor. Era a lenta decantação das ocorrências pelo filtro das representações, afectos e valores dos contadores de histórias, cristalizados em versos, cantigas e romances. Nas folhas penduradas em cordéis por feiras e romarias

vendiam‐se, por algumas moedas, feitos e fados acontecidos ou por acontecer. Ou inventados com mestria porque a realidade sempre ultrapassa o que se imagina. Músicos ambulantes teciam dessa forma os fios virtuais da comunicação directa com o povo que deles dependia para dar sentido ao passar do tempo e ao imaginar de outras vidas.

Jograis do nosso tempo, herdeiros dos “cantores de cordel”, estão a criar um Novo Cancioneiro e reencontram nos palcos, na rua e agora, também, na Internet, os atalhos que precisam para projectar as suas vozes e gestos e nos sensibilizarem com as suas histórias. Em edições cuidadas o seu trabalho pode agora fazer parte dos repertórios de qualidade dos grupos musicais e dos programas e propostas formais e informais de fruição musical.

NOVO CANCIONEIRO

A recente publicação de partituras antológicas de José Afonso, Sérgio Godinho e Vitorino e a edição em CD destes e de outros músicos permite um acesso facilitado a estes repertórios. Fausto, José Mário Branco, Rui Veloso, Sebastião Antunes, Tiago Bettencourt e Zeca Medeiros são músicos que nos sensibilizam pela qualidade dos textos próprios ou pela escolha criteriosa da poesia de autores consagrados.

Este Novo Cancioneiro pode ainda ir buscar música e poesia a outras fontes, com destaque para as cantigas trovadorescas galego-portuguesas, de finais do século XII a meados do século XIV.